Palavras que Borbulham como Refrigerante [resenha]

O longa-metragem de animação japonês Palavras que Borbulham como Refrigerante foi lançado pela Netflix em julho deste ano (2021). O filme conta a história do verão em que Cerejinha, um jovem escritor de haikais, e Sorrisinho, uma influencer que esconde os dentes por vergonha, se conhecem.


Apesar de terem personalidades bastante diferentes (ele é muito reservado e ela é bastante comunicativa), cada um deles lida com algum tipo de insegurança que parece distanciá-los do restante do mundo e aproximá-los entre si. Cerejinha usa fones de ouvido para evitar conversas, enquanto Sorrisinho usa uma máscara descartável para não mostrar seu aparelho ortodôntico.

Cerejinha e Sorrisinho

O enredo garoto-conhece-garota é bastante tradicional, mas ganha sensibilidade ao estabelecer um paralelo entre o romance dos protagonistas, uma história do passado de outro personagem e diferentes produções artísticas.


UMA HISTÓRIA DO PASSADO

A proximidade entre Cerejinha e Sorrisinho aumenta quando os dois passam a trabalhar juntos em uma empresa que oferece atividades para idosos. Lá, eles acabam se envolvendo com a história de um homem que procura há muito tempo por um disco de vinil (LP) perdido, do qual guarda apenas a capa.

Em busca do disco misterioso


O HAIKAI

Felizmente, a produção de Cerejinha enquanto haijin (autor de haikais) é flopada apenas na ficção. Os poemas que aparecem ao longo do filme são bastante sensíveis e não funcionam apenas como um plano de fundo distante, mas se entrelaçam ao enredo.


Além disso, o filme, como os haikais, dialoga com o tempo e a paisagem. O tema do verão está presente na animação e nos poemas. Ao longo da história, outros elementos típicos dessa escrita vão aparecendo de forma explícita: o kigo, o grupo de escrita (grêmio), a kigologia (dicionário de kigos)...


Eu googlei todos os haikais que consegui anotar e, ao que parece, foram todos compostos para o filme. Um deles, no entanto, me fez recordar o clássico poema de Bashô sobre a rã que salta no poço.


O velho tanque

Uma rã salta

Barulho de água

Bashô (em uma tradução literal)


Um sapo pula

Gotas de água brilham

Todas as cores entrelaçadas

Cerejinha


Assisti ao filme legendado e percebi que os haikais traduzidos nem sempre conseguiram manter a mesma estrutura proposta para o português (uma estrofe com três versos de 5, 7 e 5 sílabas poéticas cada). Ainda assim, muitas vezes a forma aproximada foi suficiente. Além disso, os haikais da legenda também supriram bem a necessidade de transmissão do sentido muito importante no caso da animação, uma vez que os poemas estavam interligados ao enredo do longa.


Haicai escrito em um muro. Cena do filme.


OUTRAS ARTES

Finalmente, preciso mencionar aquilo que foi, para mim, um dos pontos altos de Palavras que Borbulham como Refrigerante: a aproximação entre o antigo e o moderno a partir de diferentes formas de produção artística.


Os haikais de Cerejinha, por exemplo, estão tanto nas redes sociais quanto em muros. (Uma ressalva: o filme não faz distinção clara entre grafite e pixação, e o personagem do pixador é um imigrante falante de espanhol.)


Já a música aparece em um festival tradicional e em LP, bem como nos fones de ouvido conectados a celulares. Vale pontuar que o filme foi criado para comemorar o décimo aniversário da empresa de produção musical Flying Dog.


Finalmente, esse diálogo com outras artes é enriquecido pela própria obra cinematográfica, que tem animação e trilha sonora muito bonitas.


RECOMENDAÇÃO

Se você gosta de ler ou de escrever haikais, provavelmente vai achar o filme bastante interessante. Ainda que não tenha uma aproximação especial com essa forma poética, poderá se divertir com o romance juvenil retratado. ASSIM, espero que coloque Palavras que Borbulham como Refrigerante na sua lista de filmes para assistir lá na Netflix. Vale a pena.


Curiosidades:

a) Não estranhem o uso de máscara descartável por parte da protagonista. Em alguns lugares do Japão, mesmo antes da pandemia de Covid-19, já era comum usar máscaras em caso de gripe ou como forma de se proteger dos efeitos da poluição.

b) Depois do lançamento do filme na Netflix, alguém criou os perfis de Cerejinha e Sorrisinho no Twitter usando exatamente o @ que aparece na animação. Alguns dos haicais escritos por Cerejinha foram postados nesse perfil de fã. Todos escritos em português, o que me faz pensar que isso foi obra de algum brasileiro criativo. <3